BAUZINHO

23/10/2015 12:00

    Em agosto de 1959, no ponto mais alto de suas terras, donde o olhar descortina morros azulados no vasto horizonte, o proprietário da Fazenda São Bento mandou levantar pequena capela em louvor ao santo de sua devoção.   O abade São Bento é invocado como protetor contra perigos de veneno (não só de cobra) porque, certo dia, lhe deram uma bebida envenenada, mas o copo se quebrou sozinho antes que ele a bebesse. São Bento dedicou toda sua vida à oração e meditação e aconselhava as pessoas a seguirem os ensinamentos de Jesus. A Igreja celebra oficialmente sua festa anual no dia 11 de julho.
    A fotografia que ilustra este texto mostra os fundos da capelinha construída em tamanho pequeno para uso particular dos familiares e, mais tarde, adaptada para servir à comunidade.  Ficou sem atividade durante alguns anos porque muitas famílias, inclusive os proprietários das terras se mudaram para a cidade.  Houve tempo em que a Comunidade era animada por bom número de jovens do lugar, inclusive promovendo tardes de louvor ou de encontros bíblicos. Mas, também eles foram embora dali para procurar futuro melhor. Isto faz parte do jeito de viver no meio rural; nem tudo acontece conforme a vontade das pessoas; os rumos mudam!  Importante é não deixar esmorecer a fé!
    Em novembro de 2009, a família dona da terra anexou à capela uma gleba de quinhentos metros quadrados de terreno e, de muito bom grado,  transferiu  tudo   para a Paróquia de Liberdade. A partir desta louvável iniciativa, dedicada a pessoas da região  dos “Olhos d´Água” e arredores se uniram ao povo do “Bauzinho” para reavivar a comunidade. Arrecadando recursos por meio de leilões e donativos, a Coordenação cuidou de aumentar o espaço e  construiu  na parte da frente da capela uma cobertura  para dar mais conforto ao povo nas celebrações e Missas e, também, nos momentos  de confraternização, leilões e entretenimentos,   como  se  vê  na  foto dos fundos. 
    Estando a capela bem à margem de estrada de boa qualidade, perto de entroncamentos ou encruzilhadas  que servem de ligação com Carvalhos,  Liberdade, rodovia BR-267 e várias fazendas existentes na redondeza,  a movimentação de visitantes  aumenta  nos  dias    de  celebrações religiosas,  na festa do ano e  em confraternizações. Na verdade, este deve ser o objetivo  de  cada   Comunidade: viver em unidade,   conviver   praticando vida cristã,   em união com  vizinhos,  com  visitantes e com a Paróquia.

Voltar