COMUNIDADE SÃO GONÇALO

11/11/2015 14:22

Bairro “Beira Rio”

    Chama-se “Beira Rio” o caçula dos bairros de Liberdade. Nasceu há menos de vinte anos, fruto de loteamento de terras particulares na qual a Administração Municipal, por conta da cota de urbanização, implantou projeto  de construção de  algumas casas populares. O aglomerado aumentou rapidamente e recebeu  nome de “Beira Rio” por estar situado próximo ao Rio Grande, em cuja margem  esquerda  já havia bom número de casas de morada. Logo, o bairro foi  se  enriquecendo de novas construções  residenciais e de galpões destinados a comércio e prestação de serviços da iniciativa privada. No final do ano 2015, a quantidade de construções novas chegou a cento e vinte unidades. Tudo graças ao privilégio de estar ao lado de  rodovia asfaltada que dá acesso a Bocaina de Minas e saída para Estado do Rio de Janeiro, além de acesso fácil ao centro da cidade.
    Aberto esse horizonte novo para a população, era necessário que a Paróquia cuidasse logo de dar  aos moradores dali atendimento espiritual e pastoral adequado, utilizando-se dos meios de evangelização a seu alcance.
    Desde o início da urbanização, a Igreja vem se fazendo presente no meio do povo. Alguns  moradores se engajaram em projetos de novenas de casa em casa, orações do santo terço, estudo de temas da Campanha da Fraternidade,  Missas em casas da família e “Caminhadas Penitenciais”,  costume que a Paróquia conserva e realiza em todas  as  suas comunidades urbanas   no tempo litúrgico quaresmal.
    Fato curioso e peculiar aconteceu. Por não existir capela no bairro  os moradores não se sentiam organizados como comunidade. Quando Padre Tadeu Vieira  assumiu a administração paroquial  descobriu alguns homens violeiros e  conhecedores do terço de São Gonçalo,  que é cantado como bonita expressão de fé.  Também ele  dedilha violão e sabe cantar o terço. Uniram o útil ao agradável.   Iniciaram  costume de,  antes das missas,  padre e violeiros  executarem e cantarem o terço. Assim fizeram também na Festa do ano. Aproveitando o entusiasmo, Padre Tadeu se apressou  para oficializar a comunidade,  estreitando entre ela e os demais segmentos da Igreja elo de ligação que faz da Paróquia comunidade de comunidades. O povo precisava de escolher um patrono. Entre três santos candidatos,  ganhou disparado SÃO GONÇALO, nascido em Portugal, protetor dos violeiros que a ele acorrem para pedir ou agradecer. Instalou-se, assim, a nova COMUNIDADE SÃO GONÇALO fazendo-se a reserva de um lote de terreno  que  demarca o local de sua futura capela ou galpão  para liturgias  ou confraternização.
    O “Documento de Aparecida” recomenda que as paróquias renovem suas estruturas para serem uma rede de comunidades e grupos, capazes de se articularem como discípulos-missionários de Jesus, encontrando espaço para receber e acolher a Palavra  e celebrar a adoração do Corpo de Cristo  (DA 172).   Que assim seja na Comunidade “São Gonçalo”!.

Texto: José Cunha de Campos

Voltar