COMUNIDADE SÃO JOSÉ

11/11/2015 13:26

Bairro “São José”

    Chamava-se “Atrás do Morro”. Por volta de 1950 tinha poucas moradias: algumas margeando ruas tortuosas, abertas  “no braço”, com enxadões e picaretas; outras,  espalhadas em  pontos isolados, no meio do mato;  muitas, com  cobertura em  capim, comum à época. Era a condição de vida que os  tempos difíceis permitiam. Apesar disso, bonita e animadora era a dinâmica de vida religiosa daquele povo, pois os guiava a fé, esperança e amor, com intensa participação na vida litúrgica concentrada na igreja Matriz.
    No decorrer do tempo, “Atrás do Morro” foi melhorando, recebendo ruas e moradores novos que, como elos de uma rede, se uniam na prática da beleza da fé. Depois das atualizações do Concilio Vaticano II, dedicavam-se ao terço em família, às   novenas de Natal, à participação ativa de alguns membros  na igreja Matriz,  auxiliando na liturgia, servindo no ministério leigo da sagrada comunhão, ajudando na catequese, coordenando  a visita da imagem de Nossa Senhora de Fátima como forma de animar o espírito de oração  em muitas famílias. Mas não tinha status de comunidade.
    Foi 1983  o ano do grande sopro do Espírito sobre aquele bom povo. Após intensa preparação seguindo a dinâmica orante dos Padres Redentoristas, o pároco Padre Elias Saleh conseguiu fossem realizadas Santas Missões, com encontros, estudos, celebrações, caminhadas e momentos específicos para jovens e crianças. Sacerdotes e Seminaristas se dividiram e se espalharam  por diversas lugares.  “Atrás do Morro” ficou sob coordenação do seminarista José Luiz Sales,  atualmente  bispo  de  Fortaleza,  no Ceará.
    Ao final, os missionários sugeriram que a Paróquia fosse, aos poucos, dividida e organizada em sistema de comunidades eclesiais de evangelização. O povo de “Atrás do Morro” não perdeu tempo. Instituiu de imediato sua COMUNIDADE e iniciou a construção de sua capela em terreno conseguido por interferência de Pe Elias.  Fato curioso foi que boa parte dos moradores trabalhavam  na Cia de Nickel;  quando, por razões técnicas, a Cia,  atualmente Huzi, decidiu demolir  suas casas  e transferir  os trabalhadores para a cidade, as  famílias de “Atrás do Morro” trouxeram consigo a tradição da “Festa de São José” que lá era realizada.  Que patrono escolher para a comunidade?!?  Estava fácil, portanto. “Atrás do Morro” ficou no passado e seu povo viu surgir seu bairro com  nome novo, em homenagem  ao protetor  dos trabalhadores: “COMUNIDADE SÃO JOSÉ”.
    Os frutos vieram juntos com a mudança de nome:  capela própria, cursos de formação, continuidade de Círculos Bíblicos,  missa mensal e, por fim, a incorporação à Comunidade do novo Loteamento Heleninha Ladeira, próximo à APAE. A  Festa de São José no dia 1º  de Maio é uma das marcas da Comunidade que mantém um grande espírito de fraternidade e fé, com seus desafios, seus jovens, suas crianças, adultos e idosos, caminhando, construindo e reconstruindo a história, sempre com o testemunho de fé de tantas santas famílias e pessoas que, nessa Comunidade, nesse lugar, a  Providência divina quis plantar, estabelecer e abençoar.

(Texto: José Cunha e Marlene Vilela)

Voltar