“Eis que Cristo ressuscitou!”

28/03/2017 20:32

    “Eis que Cristo ressuscitou!”

    Amados irmãos e irmãs: após as celebrações quaresmais, chega-se, em abril, ao auge de nossa fé que é acreditar na ressurreição de Jesus. Uma palavra que resume a festa da Páscoa, com certeza, é: alegria!. Alegria imensa, que explode na alma e contagia. Em todas as passagens da Escritura que falam da ressurreição, duas ações acontecem: encher-se de alegria e sair para comunicá-la aos outros. Ou seja, diante da realidade da ressurreição, não consigo segurar a felicidade e saio para anunciar isto aos meus irmãos e irmãs, que são também irmãos de Jesus.

    Nós, muitas vezes, estamos iguais aos discípulos de Emaús marcados pela dor da morte de seu Senhor e Mestre; ficaram com os “olhos como que vendados” e incapazes de perceber a novidade que Jesus havia prometido: a Ressurreição. Nem mesmo o testemunho das mulheres, que foram ao túmulo e voltaram dizendo que tinham visto um anjo e que este afirmou que Jesus está vivo, os convenceu da verdadeira realidade da Páscoa (Lc 24,23). Discípulos entristecidos e desanimados que haviam escolhido viver uma Quaresma sem Páscoa, a Paixão de Jesus sem a Ressurreição...

     Não podemos esquecer que a Ressurreição é a confirmação que o Pai dá de que Jesus é verdadeiramente seu Filho e Ele ressuscitou como primícias, como conquista e certeza da nossa ressurreição. É também a confirmação de nossa fé. Diz São Paulo: Se Cristo não ressuscitou, vazia é a nossa fé e nós somos os mais dignos de pena (1 Cor 15,17). O domingo de Páscoa é o dia mais alegre do ano porque o Senhor da vida triunfa sobre a morte, sobre o pecado, sobre o mundo. E é tão intensa essa alegria, que perdura até a festa de Pentecostes. No tempo pascal, com efeito, a cada dia das sete semanas se vive a mesma alegria do domingo da ressurreição. Vivamos as alegrias da Páscoa, pois no Senhor está nossa alegria!.

A todos os leitores desejo uma santa e alegre Páscoa. 

Voltar