Fé e emoção no Jubileu do Senhor Bom Jesus do Livramento

17/09/2016 12:49

    Em 14 de setembro, dia que a Igreja Católica evoca a Exaltação da Santa Cruz, a Paróquia de Liberdade celebra com alegria e entusiasmo o Jubileu do Senhor Bom Jesus do Livramento.  Neste Ano Santo de 2016, no  alvorecer do  dia 14,  o Santíssimo Sacramento foi  exposto para se fazer presença  diante do povo, no silêncio da Capela própria, e desde cedo,  às seis horas da manhã,  aconteceu  a celebração da Santa Missa, ato litúrgico que se repetiu a cada duas horas.  O sol ainda descansava,  quando dezenas de colaboradoras e de  voluntários se puseram a postos  para  começar a atender  romeiros que durante o dia inteiro subiam  contritos a rampa que dá acesso   ao local onde se encontra a maravilhosa e  centenária imagem,   de origem desconhecida, esculpida  em cedro inteiriço, em tamanho real de um adulto,  sinal de representação do  Cristo  que se  entregou em  supremo  sacrifício por amor à humanidade (Ecce homo). Emocionam demonstrações de louvor, piedade, gratidão e confiança que brotam da alma de pessoas que suportam com paciência extensa fila para visitação àquela imagem, enquanto o padre animador recorda a todos a mansidão, humildade e infinita  misericórdia de Jesus. Bons números de fiéis enriqueceram mais ainda sua vida espiritual ao participarem do sacramento da Reconciliação pelo qual se obtém o perdão das imperfeições e erros confessados. Mais de uma dezena de sacerdotes colaboraram no atendimento aos penitentes. 

    O  Santuário permaneceu  lotado durante todas as celebrações sempre precedidas de motivação e acolhimento por parte de Padre Liomar Rezende Moraes. Encerrou-se o dia com solene  celebração  de Santa Missa  presidida pelo Exmo. e Reverendíssimo   Dom  Gil  Antonio  Moreira,  Arcebispo  Metropolitano de Juiz de Fora. Concelebraram Padres Ivair Carolino, Reitor do Santuário, Tadeu Jesus Vieira, Eder Martins, Rafael Neves Oliveira, José Maria Novaes, Márcio Aurélio Neves, José Custódio Oliveira, Luciano Atanázio, Anderson Januário Hudson e Liomar Rezende de Morais, todos  pertencentes ao clero da Arquidiocese   de Juiz de Fora  e, ainda,   Pe.  Rinaldo Roberto Rezende, da Diocese de São José  dos Campos.  Participou, também, diácono Sebastião Dimas Alves, da Paróquia de Arantina.  Deu vida à liturgia  a vibrante animação alternada entre os padres visitantes, Liomar e  Anderson.

    Ao anoitecer, réplica da imagem do Bom Jesus, esculpida especialmente para  essa finalidade,  foi conduzida pelo povo em tradicional trajeto iluminado por um mar de velas. Ao som do dobre de sinos, no murmúrio de preces solitárias que brotavam de lábios  piedosos, no  barulho suave dos passos dos fiéis, a procissão retornou  ao Santuário  onde o povo se despediu encantado e esperançoso de,  no ano que virá, repetir sua caminhada peregrinação  para buscar, de novo, a paz que só Jesus nos dá.

 


    Depois de fogos de artifício clarearem o  lindo céu de Liberdade e do cantor Kleber Oliveira apresentar  músicas de louvor,  a bênção de encerramento foi invocada sobre o povo, pedindo-se para romeiros, paroquianos  e visitantes a proteção de Deus misericordioso.  Dia de bênçãos e graças!. Noite de despedida para milhares de romeiros! Esperança de novo encontro para reavivar  a confiança no Deus de Misericórdia e,  em 2017, celebrar os trezentos anos da inabalável devoção popular à Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

Voltar