Folha Missionária Número 100

20/06/2019 12:29

O número 100 é sempre especial. Os centenários das cidades, dos eventos, das datas mais significativas, em geral, são celebrados com festas. Têm aumentado nos dias atuais as comemorações centenárias de pessoas longevas que, atingindo tal idade, reúnem familiares e amigos para brindes.

Ao atingir o número 100 de suas edições, a Folha Missionária quer elevar ações de graças a Deus e comemorar com seus leitores. Por cem vezes, este periódico, inaugurado em novembro de 2010, na Festa de Cristo Rei, visitou casas, frequentou paróquias, grupos, pastorais, movimentos, associações e esteve nas mãos de centenas de leitores. Certamente espalhou o bem, informando acontecimentos, ajudando a refletir sobre temas bíblicos, catequéticos e humanitários, convocou pessoas, editou biografias, afinal, buscou fazer jus ao seu título Folha Missionária. Nestas cem edições, levou aos fiéis variadas matérias, procurando realizar os ideais do 1º Sínodo Arquidiocesano, celebrado de 2009 a 2011, cuja primeira fase foi concluída com a criação deste jornal.

O periódico age no intuito de fazer comunhão com as paróquias, movimentos, novas comunidades, associações, estruturas de Igreja e todas as demais forças vivas da Arquidiocese, possibilitando a efetivação de uma Igreja Sinodal, onde o método de ação seja a realização do desejo de Cristo: “Que todos sejam um, ó Pai, como eu e Tu somos um” (Jo 17,21), e a consequente experiência dos primeiros cristãos cuja “multidão era um só coração e uma só alma” (At 4,32).

Tal vocação se estende também para outras Igrejas, na consciência de que toda comunidade diocesana, juntamente com seu bispo, deve vivenciar a solicitude por todas as Igrejas, publicando, em cada número, na última página, a biografia de um dos bispos de nosso País. Com estes textos, chega aos corações levando dados da vida e atuação evangelizadora dos Pastores que o Espírito escolheu para suceder os Apóstolos na condução das Igrejas Particulares. As biografias episcopais têm sido editadas obedecendo critérios diversificados, tais como, bispos falecidos na região, bispos oriundos do clero juiz-forano, bispos eleitos recentemente, bispos com funções na CNBB e outros grupos.

Nestas cem edições, podemos comemorar a perseverança ininterrupta de três escritores: Pe. Camilo de Paiva, Leandro Novaes e este Arcebispo que aqui subscreve. De fato, por 100 vezes, publicamos a Palavra do Pastor, reservando-nos oportunidade para levar a todos a mensagem da Igreja local, com temas centrais da vida eclesial ou do meio social que mais auxiliem os leitores na vivência da fé, no espírito de comunhão e na disponibilidade missionária.  Cem vezes os editoriais deram a nota dominante das matérias, escritos pelo referido Editor Chefe, Pe. Antônio Camilo de Paiva, Mestre em Comunicação pela Faculdade Salesiana de Roma e Especialista em Comunicação Social pelo SEPAC (Serviço à Pastoral da Comunicação – Paulinas Cursos). Por 100 vezes nosso único redator tem sido o jornalista Leandro Novaes, formado em Comunicação Social pela UNIPAC (Universidade Presidente Antônio Carlos-JF) e pós-graduado em Comunicação Empresarial pela UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora).

Um sem número de pessoas tem sido colaborador com artigos e notícias, somando-se riquíssima e volumosa matéria para a área da comunicação na Arquidiocese, importante para o registro histórico das atividades desta Igreja juiz-forana, indispensável para a formação de uma grei que escolheu para si o lema Arquidiocese de Juiz de Fora, uma Igreja sempre em missão.

Ao atingirmos o número 100 destas publicações mensais, erguemos ao Altíssimo nossa voz com a prece do Salmo 100: Eu quero cantar o amor e a justiça, cantar meus hinos a vós, ó Senhor!

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora


 

Voltar